Que a Transformação Digital é premissa à  sobrevivência no mundo competitivo dos negócios, é condição já aceita e entendida pelas organizações e seus principais dirigentes. Mas entender como conduzir esta transição, ainda é uma incógnita para a maioria dos que têm esta como um firme propósito.

O processo de planejamento estratégico é, em geral, o caminho apontado por muitos para a organização das ações necessárias e determinantes da Transformação Digital.

Mas, como o planejamento estratégico irá conduzir o desdobramento desta premissa em ações necessárias à Transformação Digital do seu negócio?

A resposta está na identificação de qual a real necessidade de Transformação Digital na sua organização. A resposta está na gestão por processos do seu negócio. A resposta está na identificação dos processos críticos de negócio alinhados à estratégia corporativa. Em suma, não há uma resposta determinante, mas sim um processo de diagnóstico e identificação dos diferenciais do seu negócio e alinhamento destes à missão, visão e valores a ser conduzido.

Não há uma receita pronta e comum a todas as organizações, nem a um setor econômico, ou ainda que se adapte a um tipo específico de empresa.

É necessário o entender o negócio sob a ótica do valor agregado ao negócio pela transformação. Este foco tem de estar na inovação e esta deve centrar-se em pessoas.

Assim a digitalização, a mobilidade, a realidade aumentada, a desintermediação e a automação são instrumentos à potencialização do foco; e, serve ao trazer a ficção para a realidade e, assim as pessoas, focar o futuro!
Também a computação quântica, o Big Data, o IoT, a Inteligência Artificial e o Deep Learning: todos são combustíveis a alimentarem a automatização.

Disrupção é a nova normalidade, é a regra do jogo! As mudanças não são mais graduais, são exponenciais, portanto é preciso dirigir e não ser guiado pela transformação!

O futuro não acontece, mas deve ser feito, o que implica no desenvolvimento de modelos de negócio holísticos: não são simples melhorias, mas são transformações completas; não é a inclusão, ou alterações de sistemas individuais, mas novos ecossistemas; há que se visualizar a oportunidade.

Porém, tudo que não possa ser digitalizado ou automatizado passa a ser extremamente valorizado, extremamente importante, foco das pessoas e assim o trabalho não será mais o mesmo: as  capacitações e as habilidades serão completamente outras!

Focos humanos como Criatividade, Imaginação, Intuição, Emoção e Ética serão mais importantes no futuro: enquanto processos automatizados passam a executar tarefas que antes eram humanos, agora abre-se a possibilidade de se focar em coisas mais importantes que não podem ser automatizadas – o novo foco humano!!

Há que se ir além da tecnologia e dos dados e alcançar intuições e sabedorias humanas – a tecnologia representa a forma da mudança, humanos representam a razão – é a humanidade criando valores verdadeiros e duradouros!

É liderar o futuro, é ir além da tecnologia, é dirigir a transformação digital do negócio

Receba este material em seu e-mail